Artigos
Priscila Cerutti
Coaching, psicologia e comportamento humano
Trabalho nosso de cada dia: satisfação ou sofrimento ?

Trabalhar é uma necessidade intrínseca do ser humano e pode ser considerado um fator importante de promoção da saúde. Sabe-se que, por meio do trabalho as pessoas se realizam ao mesmo tempo em que se desenvolvem em suas várias dimensões: psicológica, social, econômica, entre outras. No entanto, nem sempre o trabalho ocupa esse papel, passando a ter influências negativas sobre o indivíduo. A literatura aponta que o trabalho deixa de ser saudável quando perde o significado para o trabalhador, não mais promovendo o seu desenvolvimento, enfraquecendo vínculos, perdendo as chances de expressão e quando é realizado sob condições materiais e psicológicas inadequadas.

Ao ser mencionado sobre trabalho e saúde mental especificamente, é visto que ainda há um longo caminho pela frente em mudanças, pois os dados apresentados nas recentes pesquisas não são nada positivos. Depressão, ansiedade, desânimo e estresse são sintomas cada vez mais comuns entre os trabalhadores ativos, ocupando o terceiro lugar na lista das doenças que mais afastam o indivíduo do seu emprego e o incapacitam, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS, 2014). Para clarear a ideia, imagine uma grande ponte, se ela receber mais peso do que consegue suportar, pode ceder. E com o ser humano não é diferente, a ideia da ponte se assemelha, pois, às vezes, o peso é tanto que fica difícil aguentar. Na contemporaneidade, o que é priorizado no ambiente laboral para prevenção de doenças e acidentes diz respeito aos aspectos físicos, químicos e biológicos, enquanto os fatores psicológicos e suas repercussões no dia a dia do trabalhador são minimizados ou até mesmo ignorados. Não se pode esquecer que o trabalho ocupa uma parte significativa da vida e que ele exige um grande investimento afetivo

Um ambiente de trabalho que possui pouco apoio social, excessivas demandas, baixo controle das tarefas, falta de recompensas ou até mesmo recompensas inadequadas ao nível de esforço do trabalhador, são alguns dos fatores que aumentam a chance de ocorrência de afastamento no trabalho. Atualmente existe muita cobrança, muita competitividade e consequentemente, as pressões que se formam, levam a alterações, por exemplo, violência, absenteísmo, queda da produtividade, irritação, dificuldade de tomar decisões, entre outros. É importante salientar que, não é somente o trabalhador que é afetado, mas a organização em que ele está inserido também acaba sendo prejudicada, pois, diminuirá o desempenho e produtividade dos funcionários, haverá maior rotatividade de pessoal, problemas disciplinares poderão ocorrer, o que prejudicará a imagem da organização, aumentando os processos trabalhistas e ações.

Ainda é um grande desafio a ser superado quando se fala em manter as condições laborais de modo que conduzam ao bem estar físico, psíquico e social, ou melhor dizendo, repercutindo na saúde como um todo é um desafio a ser superado. O mundo exige cada vez mais novas e complexas interações em termos de excelência no trabalho (produtividade, resultados, qualidade dos serviços, etc) e para dar conta de todos estes estímulos, o ser humano necessita de constantes adaptações, que consequentemente, comprometerá de alguma forma a sua saúde. Para tanto, é importante e necessário olhar para além do processo laboral e considerar os reflexos do trabalho nas condições de vida do indivíduo e sua família, protegendo e preservando sempre sua integridade.

Perfil

Graduada em Psicologia pela Faculdade Meridional - IMED.
Pós Graduada em Leader Coaching na Gestão do Desempenho.
Professional & Self Coaching pelo Instituto Brasileiro de Coaching - IBC, Reconhecimento internacional pelo AGCC – Global Coaching Community, ECA – European Coaching Association e ICI – International Association of Coaching Institute. Com certificação Analista Comportamental e Analista 360º.

Últimos artigos
O progresso começa no final da sua zona de conforto!
Amanhã eu faço: a arte da procrastinação
Geração y: a geração de profissionais insatisfeitos
Pessoas resilientes têm a capacidade de dar a volta por cima. Você é uma delas?
Todos os artigos